15.4.12

Uma fotografia por dia... nº 2579

MFC - Pé de Meia
Guimarães,Penha, 2011
É necessário saber ler os sinais e não esperar que tudo se nos revele. Mas para isso é preciso poder identificar essas revelações, esses pequenos tudo que fazem a diferença! Por exemplo, neste momento estamos numa mata de carvalhos...hummm que cheiro bom!

56 comentários:

Ana Paula disse...

Olhos, olfato atentos...
Por vezes estamos no modo automático, mas também é possível nos entregarmos aos sinais. Uma foto realmente inspiradora!
Abraços

Margarida Alegria disse...

Hummm! Castanhas!
É aproveitar enquanto todos os carvalhos e castanheiros não acabam destruídos e substituídos por... eucaliptos...
Beijos

Maria Emilia Moreira disse...

Que bonitas são as sementes!
Que proliferem carvalhos, sobreiros,azinheiras e outras espécies que tais!
Um abraço.
M. Emília

Blackye disse...

Imagino esse cheiro a campo... e as bolotas (se for a altura) boas para os porcos alentejanos que andam espalhados pelo montado.

nacasadorau disse...

O olhar atento do artista.
É bom sim, o cheiro dos carvalhos, da natureza.

Beijinho

Mona Lisa disse...

Pequenos detalhes são sinais.Sigamos as pistas...

Beleza e simplicidade nesta tua belíssima foto!

Beijos.

Amapola disse...

Imagino...
Adoro vegetação!
É um mundo mágico.

Desejo-lhe muita saúde e paz.

Beijos.

Marly Bastos disse...

Devemos as vezes ler nas entrelinhas para poder entender o contexto. Não conheço os Carvalhos (somente uma família que mora no meu condomínio)que dão sementes assim.
Beijokas doces e um bom domingo

Amapola disse...

Adorei aquele comentário seu.
Corretíssimo!!

Margarida Belchior disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Margarida Belchior disse...

... e que liiiiindo é saber aprender a "ler" os sinais, aqueles se nos vão revelando, aqueles que nos vão surpreendendo e fazendo sorrir ... :-) ... é como esta maravilhosa fotografia!
:-))
Beijinhos grds, aprendendo a "ler"

Leninha disse...

Cheiros,aromas sempre nos relembram fatos,nos revelam outras vidas,outros tempos...

Bjssssss,
Leninha

Reinadi Sampaio disse...

Meu amigo, boa noite,
imagino o cheiro gostoso que advém desses carvalhos, aqui pertinho da minha casa temos uma plantação de eucaliptos, é delicioso caminhar por lá.

Obrigada por esse perfume no ar, dá para sentir lendo tuas palavras e vendo tua imagem.
Beijo.
Flor.

yolcu disse...

A composição é muito bonito.

Bípede Falante disse...

Aprendizado essencial mas complexo.
beijos :)

lis disse...

Se não lemos os sinais é quase assim como ir ao mar e nao mergulhar...
os carvalhos são árvores perenes e nativas daí do seu hemisfério,não é?
o fruto eu desconheço fc penso que sao como algumas castanheiras daqui que dão fruto mas nao sao comestíveis, apenas enfeitam nossas praias e cidades.
* obrigada querido pelos elogios,vindo de voce só me enche de orgulho e claro fico encabulada.rs
um bom domingo, um abraço

La sonrisa de Hiperión disse...

Bellotitas de iberia....

Saludos y buen domingo.

Fatyly disse...

Acreditas que senti o cheiro só de olhar para a foto?

clutch and chic disse...

ai manel, desculpe, mas nem liguei aos elementos da foto. aquela primeira frase, absorveu toda a minha atenção. penso, faço e digo tantas, mas tantas vezes isso! termos a capacidade de "ler" os sinais é determinante em qualquer aspecto da vida. este assunto "dava pano para mangas"...beijo!

Multiolhares disse...

são esses pequenos toques que passam despercebidos tantas vezes aos nossos olhos que acabam fazendo a diferença no dia a dia
bjs

Fabricio K. Ramos disse...

Concordando com Margarida Alegria, espero que os Carvalhos nunca terminem... Aqui no Brasil estamos com esse problema. Estão devastando as matas nativas para em seu lugar serem plantados os terríveis Eucaliptos. Fora isso, uma bela fotografia e de grande sensibilidade.
Abraços.

Obtuso disse...

mata de carvalhos !
que cheirinho bom sim !
se for bolota...não provo que são amargas como a vida !
se forem azinhas...sabem-me bem que se farta e que saudades me trazem !

© Piedade Araújo Sol disse...

foto com olfacto.

gosto!

O meu pensamento viaja disse...

Pé de meia, obrigada pela dica. As casas da Azenha parecem-me lindas. Vou espreitar in loco.
Boa semana!
Beijo

Jorge Costa Reis disse...

Um belo olhar

Irene Alves disse...

Bolotas...perto de onde moro ãinda
as consigo apanhar e depois envernizo~e ficam como decoração.
Beijinhos e que tenha um
bom domingo,
Irene

Mena disse...

Olá!
Sem dúvida que estamos numa mata de carvalhos!


Bonita foto!

Bj
Mena

Pérola disse...

Os sinais se não fizerem parte dum código, internacionalmente estabelecido, podem ser interpretados de todas as formas imagináveis.
Vê lá, para mim as bolotas fazem-me sentir num montado. Os sobreiros, afinal, são aparentados com os carvalhos.

cycle disse...

Carvalhos, vibradores.... hum... :)))))

Zélia Parreira disse...

Olá! Parece-me que devo um abraço de parabéns a alguém, não é? Pois ele aqui está, e eu penitencio-me pelo atraso.

Parabéns!

Anna^ disse...

gosto deste texto!

Maria de Jesus Lourinho disse...

Gosto da luz. Imagino o cheiro.

Jorge disse...

E que tal meter uma bolota estas numa fisga e mandá-la à testa dum coelho?

manuela barroso disse...

Caíram na esperança de germinar.
Mas nem sempre o terreno é fértil.
Como em tudo na vida.
Fica a fertilidade de uma foto interessante porque incomum
Beijinhos

Manuela Freitas disse...

Senti penetrante esse cheiro e a necessidade de ler os sinais!
Beijo,

greentea disse...

os sinas estão sempre l´...por vezes não os vemos

Tiago Braga disse...

gostei da ideia, pegas te em algo natural, simpes e que a muitos passa despercebido e fizes te alta foto =)
beijinho

Rute disse...

Gostei das tuas palavras...prenderam-me a atenção!

Bolotas?... desculpa a minha ignorância...

1 beijo

Lilá(s) disse...

Chamo a isso saber ver....
Bjs

Andy Santana disse...

Minha linda,
uma ótima semana a vc...
beijos

ponto e virgula disse...

o cheiro faz-se sentir. as cores dão luz ao olhar. o enredo geral revela-se num saber captar fruto de apurada observação mesmo ao mais insignificante que possa parecer.
tens a arte de apreciar o belo, o pormenor.


a...té

Sara disse...

Guimarães tem de facto muitos encantos, alguns à espera de serem desvelados. A plasmar a própria vida que, se estivesse toda às claras, poderia ser um pouco aborrecida :)
Beijinhos e boa semana!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O cheiro da Natureza é (quase) sempre bom...

Pretty in Pink disse...

E eu que sou tão boa a ler sinais :)

Beijinho*

Existe um Olhar disse...

Gosto de sinais, de ler nas entrelinhas, de estar atenta nem que seja a uma pequena bolota que eu em tempos aproveitava para jogar quando não haviam berlindes.
Por que será que muitas as vezes que venho aqui recordo a minha infância através das suas fotos?

Beijos
Manu

Canto da Boca disse...

Uma parábola... A leitura da natureza, como se estivéssemos inaugurando um novo código de comunicação... E que foto linda, descomprometidamente linda!

Em@ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Em@ disse...

é! precisamos não nos distrairmos. os sinais estão, precisamente, nas pequenas coisas. nos pormenores que são pormaiores.
...e o carvalho é desde o início dos tempos considerado uma árvore sagrada, símbolo da ligação da terra com o céu...os celtas faziam culto ao carvalho...o verde significa imortalidade. ai tanta coisa para dizer sobre.
beijo
Fotografia com pegada.

Blondewithaphd disse...

Já não via bolotas dessas há que séculos!!

Tanita disse...

Belíssima fotografias!

luisa disse...

E assim...nos detalhes de uma fotografia dei por mim em plena mata de carvalhos :)) Gosto muito destas fotos que revelam pequenos pormenores.

Remus disse...

Por momentos ao ler o texto, até estava a pensar que ia falar de cartomantes e de adivinhos que lêem búzios ou pedaços de chá. :-P

Se fosse castanhas eu até me vergava para as apanhar e comer. :-)

Noslen ed azuos disse...

des'vendar e sentir!

abraços
ns

Menina no Sotão disse...

Ao que me pergunto. Como conseguir tal coisa se o humano e essencialmente desatento? rs


Bacio

Eli disse...

hmmm

Árvores de respeito!

Elisa T. Campos disse...

Sensibilidade rara ao narrar o texto. rastros que fazem a diferença (cheiros)