29.8.14

Uma fotografia por dia... nº 3445

Minho, 2014
Caminante, no hay camino,
se hace camino al andar.
Al andar se hace el camino,
y al volver la vista atrás
se ve la senda que nunca
se ha de volver a pisar.

Antonio Machado

14 comentários:

Mona Lisa disse...

Que foto de sonho!
Um autêntico convite à descoberta!
Vou percorre-lo sem olhar para trás.

Beijinhos.

Fatyly disse...

Gostei e estou a subir sem olhar para trás, porque ainda vou de trombas ao chão:):):)

Aquele abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

a simplicidade e a grandiosidade da beleza desta foto!

muito boa!

bom fim de semana.

beijinho

:)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Gostei de o rever lá pelo meu Rochedo. Sabe que abri uma sucursal ? :-)
Abraço

Remus disse...

Esta estrada, nos seus tempos áureos, era considerada uma auto-estrada. Era do mais moderno e funcional que existia. Hoje em dia, será considerado um caminho de cabras.
Os tempos mudam, assim como também mudam os critérios de avaliação de algo.
;-)

Rosa dos Ventos disse...

Gostei da visita!
Belo poema e bela imagem.


Abraço

Tanita disse...

Y lo tenemos siempre para volver, siempre!

Filha do Rei disse...

Oh, caminhos, sejam de pedras ou de flores. São caminhos que precisamos trilhar.
Tenha um abençoado fim de semana! Bjs

Jorge disse...

Parabéns pelo blogue. É excelente!
Bom fim-de-semana!

Ana Paula disse...

Quanta poesia nesta bela foto!
Beijo

Elvira Carvalho disse...

Um belo poema que adorava ouvir cantado pelo Juan Manuel Serrat.
E a foto é linda.
Um abraço

maria madeira disse...

Uma foto muito, muito bonita. A mim empurrou-me de imediato para a casa dos meus avós quando era criança, gostava de passear pelos montes e ribeiras. Muitos dos locais eram um pouco parecidos com esta sua foto, mfc. Portanto, pela minha parte, obrigada.

Bom fim-de-semana :)

L.S.A. disse...

Mesmo que tentemos voltar a fazer o mesmo caminho... nada é igual, e nós ainda menos.
Parabéns.
Mas por favor continua pois ainda tens muito caminho para fazer.

Manu disse...

Gosto destes caminhos, de saltitar de pedra em pedra, de me perder sem contar o tempo, daí que me encantou esta foto.

Beijos Manuel