21.6.14

Uma fotografia por dia... nº 3376

Aveleda, 2014
A(s) igreja(s) sempre se deram bem com a morte, pois esse é o seu sustentáculo! Não fosse a aversão (e rejeição) natural que temos à ideia de morte todas elas abririam falência de imediato! Assim, vão subsistindo para irritação de tipos como eu, a quem também não agrada essa ideia, mas que não crê de todo no rebuçadinho da vida para além... desta vidinha! Ponto final.

5 comentários:

Til disse...

É sobretudo o conceito de "purgatório",surgido por conveniência da religião,que mantém as igrejas abertas e enche o papo de muito abade,frade,padre e afins*
Necessidades dos humanos mortais!

Mila Lopes disse...

Saudades deste lugar... Gosto daqui...Bom fim de semana...Bjsss
http://milallopes.blogspot.com.br/

Fatyly disse...

Ponto final...MESMO!

Beijos e um bom sábado

Boop disse...

Mais um lugar comum: existimos enquanto se lembrarem de nós….
Verdade que ninguém gosta de pensar no fim!
No para quê? No como? No quando.

Eu acho que a religião (seja qual for) nasce do medo, da angustia insuportável da finitude.
E olha… respeito muito a angustia dos outros, seja qual for a maneira que têm de lidar com ela.

Já ouvi padres a dizer "O pior que aconteceu ao homem foi a psicanálise" e Psicanalistas a dizer "O pior que aconteceu ao Homem foi a religião"
Eu… gosto de acreditar que temos uma pontinha de liberdade de pensamento e que cada um escolhe o seu caminho.
(mas depois lá vêem os fundamentalistas que estragam tudo!)

Eheheh
Desculpa o testamento

Mona Lisa disse...

Desligando-me da parte religiosa, pois seja qual for a crença, todas têm uma base comum, aprecio-as como monumentos que encerram "pedaços" da história da localidade aos quais estão ligados os seus estilos arquitectónicos.

Uma foto com um ângulo fantástico , onde as nuvens deram o seu contributo!

Beijinhos.