13.1.14

Uma fotografia por dia... nº 3217

Póvoa de Varzim, 2014
A minha terra é o Menino d'Oiro do Zeca Afonso, os Verdes Anos do Paredes, a Canoa do Carlos do Carmo, o Deixa-me Rir do Jorge Palma, o Cavalo à Solta do Tordo, a Nini do Paulo de carvalho, a Amélia dos Olhos Doces do Carlos Mendes, o Xico Fininho do Rui Veloso, o Sei de um Rio do Camané, o Há Festa na Mouraria da Amália e o Somos Livres da Ermelinda Duarte...

5 comentários:

Fatyly disse...

e para ser quase igual à minha terra eu grito bem alto...Quando alguém nasce, nasce selvagem dos Delfins:):):)

Parabéns pelo post!

Bjs

Mona Lisa disse...

Será que somos livres?!

Uma foto tirada com mestria!

Beijinhos.

Elvira Carvalho disse...

Eu não sou livre.E acredito que milhares de idosos que trabalharam a vida inteira no pesado e hoje têm reformas de duzentos e tal euros sejam livres. Só se para procurar o suicídio.
Um abraço e uma boa semana

Graça Pimentel disse...

Uma fotografia magnífica das gaivotas da "minha terra".

beijo

Gilda disse...

Eu sou livre de voar para onde quiser, como quiser, quando quiser só deixarei de o ser se um dia a natureza que me controla, me impedir de o ser.
Se ficar prisioneira não será porque "alguém" me impediu de "voar".
A fotografia é muito boa, mas eu não gosto de gaivotas, e já tive ocasião de dizer porquê.
Elas querem o que menos custa a alcançar, e eu gosto de trabalhar para conseguir o que desejar.