18.12.13

Uma fotografia por dia... nº 3191

Penafiel, Paço de Sousa, 2013
Esta imagem de um miúdo a brincar despreocupadamente com o seu carrinho no rebordo deste túmulo, dá-nos a ideia de quão natural é a morte e que assim deve ser entendida. A morte não é de todo um drama. Devemos ter consciência que somos seres finitos e encará-la com a naturalidade que a imagem documenta.

5 comentários:

Mar Arável disse...

Não há morte

nem princípio

Abraço

Fatyly disse...

Claro que sim...o pior é quando temos "uma jornada de sofrimento tão devastador".

Uma foto tão bonita!

Mona Lisa disse...

Citando Fernando Pessoa:

A morte é a curva da estrada.
Morrer é só não ser visto.

Nada te escapa! O miúdo observava-te.

Adorei a foto.

Beijinhos.

Manuel Luis disse...

Abriste a janela e viste a morte assim!
Distingue-te de um olhar, da maneira como vez o meio e depois transferes para a tua máquina.
Boas festas.
Abraços

Joaninha Musical disse...

A fotografia está super encantadora,eu gostei bastante. Eu não acho que essa fotografia queira simbolizar o acto da morte,pelo menos,é o que eu acho.