27.9.12

Uma fotografia por dia... nº 2744

MFC - Pé de Meia
Vila do Conde, Cais da Sra. da Guia, 2012
Os espaços amplos sempre me seduziram. Sinto-me bem neles... há uma como que irmanação entre mim e eles. E procuro-os de uma forma não premeditada e organizada, mas sinto que os procuro. Há uma certa espontaneidade nessa minha atitude. Direi que sou impelido a isso.

28 comentários:

Mona Lisa disse...

Também me agradam, pois transmitem-me a sensação de liberdade.

Um ângulo fantástico nesta linda foto que me transmitiu liberdade e paz!

Beijos.

Margarida Alegria disse...

Um lugar marcante de uma das mais belas cidades portuguesas.E tantas recordações!
Passei aqui para dar um beijinho e para alertar que já sairam novos cartoons (Três), sobre cigarras, formigas e outros velhos contos, no meu blog!
:)

MINHA VIDA DE CAMPO disse...

Boa noite! Foto encantadora. Aqui temos muitos faróis e passei minha infância num lugar que tem farol, ele me guiava nas aventuras, por que lá era deserto e eu só via ele imponente me guiando para voltar para casa.
Tenha uma ótima semana, adoro suas frases, todos os dias recito elas a um amigo.

Dudis disse...

Olá, adorei a foto, como aliás adoro todas as que estejam ligadas ao mar, limpa-me a alma. Boa semana, bjos doces

Maria disse...

Muito boa!!!!!!!!

Beijo.

Helena Prata disse...

E quem não gosta de contemplar o mar? Este sítio parece fantástico para isso ;-)

Canto da Boca disse...

A amplidão do mar, mostrada na imagem, oferece uma grande liberdade, sem dúvida...

Lu Guedes disse...

A amplidão do mar deixa o "farol" na mesma condição que a gente diante do universo. Perfeito.

bacio

Marina Linhares disse...

Costumo dizer que o mar é meu chão... nessa imensidão azul, me perco, e essa imagem transmite uma PAZ inexplicável.
Excelente foto com horizonte perfeito.

Naná disse...

Realmente cada vez mais procuro espaços onde há espaço para espraiar-me. Os espaços reduzidos e exíguos começam a fazer-me espécie!

Será que a pescaria foi boa?!

CNS disse...

Como compreendo essa tua atracção pelos espaços amplos ...

aflores disse...

Procura que te faz bem, e lá diz o velho ditado «quem procura sempre alcança»

:)

Grande abraço

Fábio Martins disse...

Foi um bom "tiro" este :)

Fatyly disse...

amplos, arejados e naturais...subscrevo e a foto está linda, mas diz àqueles pescadores para se chegarem mais para trás:):)

Maria Emilia Moreira disse...

É realmente um belo lugar para arejar o corpo e a mente.Bela foto.

Maria de Jesus Lourinho disse...

Acontece-me o mesmo; talvez por ser alentejana e a lonjura da planície me correr no sangue.

Mar Arável disse...

Na verdade

respira-se melhor

Remus disse...

A sua escolha por espaços amplos, provavelmente é um prolongamento da sua procura pela liberdade.
Agora, quase que pareço um psicólogo a falar. :-)

Benó disse...

Olá! Depois de um descansosinho cá estou de novo blogando.
O farol! Sempre necessário na nossa vida. Creio que não será fácil viver sem um, sem uma luz, sem um guia.
O mar, inspiração de tantos poetas é, para uns, calma e paz mas, para outros revolta e desespero.
Tenho-lhe muito respeito.
Que estarão os humanos a espreitar?
Um bom fim de semana.

CR disse...

Parece que hoje buscámos quase os mesmos motivos.
Um abraço.

A Luz A Sombra disse...

Não só acredito... como compreendo.
Abraço

tulipa disse...

MANUEL

tenho PAIXÃO por FARÓIS

OBRIGADO pela partilha.

Abraços

Janita disse...

Eu sinto-me melhor em espaços mais reduzidos e aconchegantes. No entanto, a imensidão do mar fascina-me e atemoriza-me, simultâneamente.
Tenho gostado muito das tuas fotos de Vila do Conde.
Manel, desculpas aquele PS, estúpido, no post anterior?
Beijinhos e continua a sorrir!

Pérola disse...

Os amplos espaços permitem-nos sentirmo-nos em pleno.

Mais um sítio lindo que desconheço.

Beijinho

Ana disse...

Também me sinto atraída por sítios amplos, dão uma sensação de liberdade, principalmente quando tenho o mar pela frente...

Bípede Falante disse...

um farol já é um encanto, é quase como uma sereia!!

beijoss

emptyspaces11 disse...

Espaços abertos são possibilidades. São parte do que talvez nosso espírito espere de tudo: liberdade para voar, para ir além de onde estamos, de mergulhar na imaginação de que o mundo é muito mais do que aquilo que vemos.

Gosto de faróis. Gosto de mar batendo nas pedras. É um encontro que me surpreende e me cativa.

Linda imagem!

Paula Nogueira Guerra disse...

Um momento de pescaria maravilhoso!