21.3.12

Uma fotografia por dia... nº 2554

MFC - Pé de Meia
Ponte de Lima, "O Rampinha", 2011
Um revivalismo naïve, que nos contagia mal entramos. Para onde quer que olhemos somos imediatamente transportados para um olhar nostálgico de um mundo que um dia findou. Tudo ali, desde as sugestões de música, as alusões às divas do cinema, aos mitos revolucionários... tudo nos conduz a uma atmosfera de irrealidade ao mesmo tempo tão próxima e tão longínqua.

50 comentários:

Maria disse...

E o caminho da UTOPIA!!!!
O tal que nos faz andar para a frente!

Beijo.

# Poetíssima disse...

quanta coisa..

Margarida Belchior disse...

... estes sítios têm uma sabor especial através dos objetos, das músicas ... que lá encontramos e contam-nos histórias [as nossas e a de outros], que existem sempre, porque as perpetuamos, ... por isso tudo fica tão próximo e tão longínquo ... mas é tudo realidade, não a palpável, a observável, mas a realidade das nossas memórias, dos nossos afectos, dos encontros e desencontros, das alegrias e das tristezas, ...

:-)
Tenho que conhecer esse sítio.

Beijinhos grds, bem reais

Mona Lisa disse...

A melancolia de reviver o passado!

Fizeste-me recuar no tempo...um tempo que findou! (disseste-o bem)

Belíssima foto (com vida),soberbamente legendada.

Beijos.

Sofia disse...

Gosto de lugares assim. :)
Beijinho

AvoGI disse...

nao conheço. vou registar
kis .=)

Lacorrilha disse...

Espetáculo. Um sítio que Lacorrilha terá de visitar, ora pois.

Marly Bastos disse...

Eu acho "cool" lugares com atmosfera antiga, de anos idos e que nos fazem relembrar ou conhecer o passado. Essa foto me lembrou os barzinhos de Buenos Aires. São assim, cheios de objetos que lembram tempos passados.
Beijokas doces.

Artes e escritas disse...

Sugestões musicais são deliciosas quando nos vemos ou revemos nelas. Um abraço, Yayá.

Anónimo disse...

Remeteu-me ao Bar do meu avô que Deus guarda no Céu há já alguns anos.


É assim, revivalismos que jamais voltam, apenas ficam nuances!!

Agradável fotografia, e nela um líder carismático e que influenciou o mundo.

Abraços

João Menéres disse...

Por incrível que pareça, não conheço O RAMPINHA !

Ficará para uma próxima vez que vá a Ponte de Lima comer as PAPAS DE SARRABULHO !!!

Obrigado pela dica.

dade amorim disse...

Deve ser uma delícia.
Beijo, mfc.

Menina no Sotão disse...

Me fez lembrar uma confeitaria que eu ía quando criança que fechou. O lugar cheirava a mofo. rs Mas os doces, ainda hoje sinto aqueles cheiros e percebo os sabores. Nunca mais comi doces iguais aqueles. rs

bacio

lis disse...

Um local da saudade,me faz lembrar a Confeitaria Colombo - um local no Rio de Janeiro, cheio de glamour e tradição de mais de um século.
Já é considerada patrimônio cultural e artístico na vida urbana da cidade.
Talvez a diferença seja apenas no que se recorda, o "Rampinha" evoca mais a Arte popular e o daqui um espaço frequentado por intelectuais, poetas , presidentes da República e a dita sociedade rica.
Hoje continua lindo local para encontros e boa conversa.
Bom registro mfc
deixo o meu abraço de toda noite.

Fatyly disse...

Ena tantas recordações o que torna estes locais tão agradáveis...pelo que subscrevo o que dizes.

Anjo De Cor disse...

Parece um quebra-cabeças cheio de bocadinhos de isto e aquilo, muitas memórias....
Bjs*

abspinola disse...

Tantas memorias e recordações.
Gosto de locias assim.
Bjstos

Pérola disse...

O tempo é impiedoso. Por vezes, deixamos pedaços de nós espalhados em certas datas, em certos lugares, em certas músicas, em certos olhares. Só nos resta uma forma de contornar este carrasco sem misericórdia: munirmo-nos de recordaçoes e transportar-nos aos locais, aos cheiros onde repousam partes de nós. Como ele ( o tempo) fica enraivecido! Mas, nós ganhamos-lhe, nem que seja nestes lugares, nestes pensamentos.
Um beijo.

clutch and chic disse...

um mundo!!!

Vanessa Gonçalves disse...

Que encanto! :D

Mar Arável disse...

Um belo espaço

para escolher memórias

Janaina Cruz disse...

mfc, chegar em teu cantinho é embrenhar-se num manancial de poesias.

O olhar nostálgico da poesia, nos leva ao nosso passado particular, onde deixamos guardados no eu, as músicas que esquecemos, os poemas por terminar, as pessoas que já deixamos de amar. É como se tudo fosse um álbum de fotografias amareladas pelo tempo, que recebe de nós um suspiro a cada visita...

Abraços, e obrigada por me causar essa inspiração...

Naná disse...

Adoro esses locais!
São uma lufada de história!

maray disse...

eu devo ter alguma tara, eu sei. Uma síndrome qualquer ainda não definida. Mas ao olhar pras escadarias de " e o vento levou", sempre imaginei o trabalho que a faxineira teria pra limpá-las e ao olhar pra esse barzinho (encantador, por sinal), fico pensando a mesma coisa: já imaginou tirar o pó disso tudo?? Mas devo confessar que, apesar do pó e da minha rinite (decorrente), adoro lugares assim!!

polittikus disse...

Não é um toque vintage, mas é retro...

Betty Gaeta disse...

Adorei a foto! Adoro lugares atulhados de lembranças como este!
Vou colocar o pensamento do dia no meu FB, fazendo referência ao seu blog.
Beijos 1000 e uma ótima 4ª-feira para vc.

www.gosto-disto.com

Obtuso disse...

Conheci de passagem pra matar a sede há uns anos!
...e gostei !

Libel disse...

Nem mais!!...
Lugares como esse são como máquinas no tempo. Quando entramos viajamos para qualquer lugar, qualquer época, qualquer década. São como fios condutores a uma realidade que nos deixa alguma saudade.

Conheço um lugar parecido em Alvor junto à marina. o dono parece o Bob Marley.

Beijokas

Tanita disse...

Leva-me para aí, já! Bj**

A Minha Essência disse...

Assim numa primeira impressão, muito cheio! ;)

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não conhecia, mas vou registar...

O meu pensamento viaja disse...

Adoro estes ambientes nostálgicos.
Beijo

Filha do Rei disse...

Lugares assim nos levam a uma viagem :) Bjs

Lilá(s) disse...

Vou anotar o "O Rampinha", este ano estou decidida a fazer umas férias pelo Norte.
Bjs

addiragram disse...

A memória comum cria um novo presente.
Falaste no teu post do sentimento de inquietante estranheza que S.Freud tão bem descreveu.

luisa disse...

Um revivalismo também revolucionário... só nesta foto consigo ver o Che em triplicado :)

manuela barroso disse...

E quanto mais atravessamos o tempo, mais a nostalgia nos confunde.
Beijinhos

Leninha disse...

....e tive que ampliar tua foto para ver os detalhes,tal a riqueza que encontrei e foi bom viajar para o passado,através de teus olhos.
Bjssssss,
Leninha

Smareis disse...

Imagem maravilhosa. A nossa memória sempre esta lá no passado revendo velhas lembranças que são tão presente na nossa vida.

Abraços!

Nita disse...

Lá terei eu, que, em ponte de Lima, perguntar onde fica o "Rampinha".
Faço isso muitas vezes, em relação a outros.

beijo da Nita.

© Piedade Araújo Sol disse...

cada vez mais raros,lugares como esse.

beij

Ana disse...

Já há muito que não entro num sítio assim, estarão a desaparecer? Mas é verdade, essas paredes e esse ambiente contam muitas histórias :)

Beijinhos

Graça Pimentel disse...

Como é que eu, indo tantas vezes a Ponte de Lima, nunca entrei no "Rampinha"?!

Beijinho

Z.M.Z. disse...

E que faz falta de vez enquando relembrar.

Relembrar é... não esquecer.
Z.M.Z

maceta disse...

há alguns mais... em N. Orleans existe o Café du Monde, uma maravilha.

Remus disse...

Mas a cerveja continua a ser actual e boa, porque o copo já está vazio.
:-P

Remus disse...

Mas a cerveja continua a ser actual e boa, porque o copo já está vazio.
:-P

Eli disse...

Gosto de histórias...

Elisa T. Campos disse...

Um revivalismo naive.
Ainda tem espaço assim, mas não é o mesmo.

Canto da Boca disse...

Ainda bem que tua sensibilidade, teu olhar e tua câmera nos aproxima daquilo, que achamos que já está distante...